Publicidade
Publicidade - Super banner
Moda No Mundo
enhanced by Google
 

Philip Treacy dá dicas de como usar chapéu

Veja entrevista exclusiva com o chapeleiro de luxo, que fez mais de 30 peças para o casamento de Kate Middleton e Príncipe William

Marie Fava, de Londres |

Getty Images
O chapeleiro Philip Treacy
O designer irlandês Philip Treacy, o chapeleiro de luxo oficial da família real britânica e das bem nascidas do Reino Unido, cria peças que chegam a custar em média 5 mil libras (aproximadamente R$ 15 mil). Ele fez mais de 30 modelos especialmente para as convidadas do casamento de Kate Middleton com o Príncipe William, em abril deste ano, em Londres. Em entrevista exclusiva ao iG Moda, o chapeleiro dá dicas de como usar chapéu, peça tão versátil e elegante.

iG Moda: É melhor comprar o chapéu antes ou depois de comprar uma peça específica para um evento, como um casamento?
Philip Treacy:
É sempre bom ver antes o look, pois assim fica mais fácil decidir qual chapéu combina melhor.

iG Moda: Como saber qual é o chapéu mais adequado?
Philip Treacy:
O estilo do chapéu perfeito vai depender do formato do rosto de quem o está usando, da cor da pele e da altura da pessoa. Em rosto oval, quase todos os tipos de chapéu ficam bem. Abas largas são as melhores, mas se a pessoa for muito baixa é melhor comprar um chapéu de aba mais estreita. Para rosto quadrado, a dica é usar chapéus altos ou modelos de abas assimétricas. Também vão bem as abas circulares. Em rosto redondo, abas amplas ou angulares com a coroa larga vão diminuir as proporções do rosto. Em rosto retangular, abas grossas suavizam o formato do rosto e levanta o olhar, neste caso.

iG Moda: E quanto à altura das pessoas?
Philip Treacy:
Uma mulher pequena, por exemplo, pode optar por chapéu de aba estreita e coroa alta. Já uma mulher alta têm mais opções, mas deve tomar cuidado para não escolher modelos de coroa muito pequena, pois ficam desproporcionais. Há quem diga que a aba não deve ultrapassar o comprimento dos ombros, mas eu particularmente não concordo. Cabe à pessoa se olhar no espelho e, se achar que está bem, ir em frente.

iG Moda: E quanto à cor da pele?
Philip Treacy:
O importante é que a cor do chapéu favoreça a cor da pele. Pessoas mais pálidas necessitam dar um "calor", ficando muito bem de chapéu bordô, por exemplo. Pessoas morenas podem abusar das cores quentes e frias.

iG Moda: Alguma outra regra?
Philip Treacy:
O mais importante é que a pessoa se sinta bem e feliz com o chapéu. Se você comprou uma peça e ao experimentá-la soltou um sorriso diante do espelho, então está bom. Mostra confiança na escolha e isso já é mais que meio caminho andado para o sucesso do look.

CURTA A PÁGINA DO iG MODA NO FACEBOOK E SIGA O @iGMODA NO TWITTER

Leia tudo sobre: philip treacychapéus

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG